Causos Cultura Medicina Últimas notícias

CAUSOS DE UM ESTUDIANTE DE MEDICINA NO PARAGUAY – EL PUENTE

El puente de la amistad, que “ora” percorro pela primeira vez rumo ao Paraguai é simplesmente supimpa, temerosa, movimentada, cheia o llena de trabalhadores, estudantes, muambeiros, traficantes de drogas, contrabandistas de armas, gente de todo mundo, verdadeira “ponte de babel”.

Éh! Mas o mundo é pequeno mesmo!

A ponte sobre o rio Paraná, situada aproximadamente 14 km ao sul da represa binacional de Itaipu – (Tupi Guarani significa “a pedra que canta”), transpõem corredeiras emanadas da usina que mais gera energia em todo mundo, e estas águas que vos digo são oriundas nada mais, nada menos das Minas Gerais. Sim senhor!  O Rio Grande nasce na Serra da Mantiqueira, em Bocaina de Minas, e o Rio Paranaíba nasce na Serra Malta da Corda, em Rio Paranaíba/MG.

E ao contrário do refrão da música Dois Rios, da banda alterosa Skank: “Que os braços sentem, e os olhos veem, e os lábios beijam, dois rios inteiros sem direção”, ambos, Paranaíba e Grande se confluem na ponta do nariz ou bico de falcão do triângulo Mineiro. Os demais fluidos que encorpam o rio Paraná são apenas afluentes, aliás, incluindo muito xixi meu o mi orina outrora.

Estive o estuve pensando, em meu caso, fazer medicina e quiçá médico, não era um sonho como muitos propalam por aí, vejo o ato, com mais pragmatismo, já nessa altura do campeonato, uma espécie de hobby, de destino, como ilustra a letra da música Rio pro Mar do Cidade Negra: “Eu sou eu, você é você. Mas a gente tem que se encontrar. Como o rio corre pra abraçar o mar.” Por diletantismo, no sentido de dedicação somente pelo prazer que ela proporciona.

A Nathália, como boa gefirofóbica (medo de pontes) esconjurava a travessia, e todo momento lembrava a morte iminente que estava próxima, pois a qualquer instante, o concreto desabaria ao chão, no caso, na água, lembrando que em seu ápice, a ponte da amizade possui cerca de 78 metros de altura.

Ao passo que, Yasmin e Mateus se deslumbravam com aquela vista inusitada para nossos olhos o ojos, inclusive indicando uma ilhota o isleta situada no meio do rio, elemento de pertinente pergunta da Yasmin: ¿a quem pertencia aquele pequeno pedaço de terra¿ E sinceramente, não fazia a menor ideia.

Muito bem, o Muy Bien, então, o entoces, certamente é um milagre a ponte se manter de pé até hoje, o hasta hoy, pelos seus quase 60 anos, ou pelos 41,2 mil veículos e 82,4 mil pessoas que ali passam diariamente.

Ligando Foz do Iguaçu a Ciudad Del Este, a ponte da amizade possui 552 metros, e seu nome deveras ser uma espécie de expiação perpétua, ou até que a ponte caia, penso eu, devido à guerra do Paraguai, conflito que deixou marcas severas, vistas na conduta latente ou explícita de vários cidadãos paraguaios até os dias de hoje!

Não podemos voltar atrás e fazer um novo começo, mas podemos começar agora e fazer um novo fim. (James R. Sherman  – Rejection 1982).

Fotos: mercado&eventos, Alex Rocha, Itaipu Binacional, Cabeza News, Silvio Serrano

 

 

Alex Rocha

Escritor – Membro fundador da Academia Bom-Despachense de Letras

tiploc

Adicionar Comentário

Clique aqui para enviar um comentário